Edelman Trust Barometer 2019 revela que os brasileiros confiam mais no seu empregador do que nas instituições tradicionais

Enquanto Governo e Mídia estão no patamar da desconfiança e ONGs e Empresas são consideradas neutras, o “Meu Empregador” subiu 5 pontos, alcançando os 77%, de acordo com estudo global

Em sua 19ª edição, o EDELMAN TRUST BAROMETER 2019 revela que o Governo, apesar de ter subido 10 pontos em período eleitoral, alcançando 28% no nível de confiança (0-100), e a Mídia, que caiu 2 pontos e agora está com 41%, ainda são instituições não confiáveis na opinião dos brasileiros. O estudo mostra também que as ONGs, cujo nível de 57% não oscilou no último ano, e as Empresas, que foram de 57% para 58%, são consideradas neutras no quesito. Por outro lado, seguindo forte tendência global, a figura do “meu empregador” subiu 5 pontos no País, alcançando a marca dos 77% e reinando como a mais confiável. De acordo com a pesquisa, instituições com níveis de 1-49 são consideradas não-confiáveis, de 50-59, neutras, e de 60-100, confiáveis. “Temos observado importantes quedas na confiança nas instituições ONGs, Empresas, Governo e Mídia, enquanto a confiança no empregador cresce no Brasil e no mundo”, contextualiza Cristina Schachtitz, vice-presidente da Edelman. “Com a queda da confiança nos sistemas de busca e nas redes sociais, as pessoas têm se voltado cada vez mais para as pessoas que conhecem e com quem se relacionam, o que inclui seus empregadores”, completa.

Realizado pela Edelman, agência global líder em Relações Públicas, o estudo mede os índices de confiança no Governo, Empresas, ONGs e Mídia. Nesta edição, a pesquisa ouviu mais de 33 mil pessoas em 27 países, com o trabalho de campo realizado entre 19 de outubro e 16 de novembro de 2018.

O cenário de desconfiança se torna ainda mais negativo quando a descrença e o medo entram em jogo. No Brasil, 74% da população geral e 78% do público informado sentem falta de confiança e 74% da população geral e 77% do público informado sentem-se injustiçados pelo sistema e manifestam desejo de mudança. O desemprego é um receio generalizado, com 73% dos empregados brasileiros preocupados em perder o emprego por “não ter a formação e as competências necessárias para ter um trabalho que pague bem”.

Nesse contexto, as pessoas esperam que os CEOs liderem melhorias sociais. Setenta e três porcento dos brasileiros afirmam que esses executivos deveriam promover mudanças ao invés de esperar que o governo as imponha (13% a mais do que no ano anterior) e 78% acreditam que “uma companhia pode tomar atitudes que aumentem os lucros e, ao mesmo tempo, melhorem as condições econômicas e sociais nas comunidades onde opera”. Além disso, 65% dos brasileiros concordam que os CEOs podem gerar mudanças positivas em relação à Igualdade Salarial, 61% em relação ao Preconceito e Discriminação, 61% em relação à Formação para Empregos Futuros, 57% em relação ao Meio Ambiente, 53% em relação à Informações Pessoais, 48% em relação às Fake News e 44% em relação ao Assédio Sexual.

Quando são consideradas confiáveis, as empresas são recompensadas pelos empregados brasileiros com maior defesa (83%), engajamento (77%), lealdade (75%) e comprometimento (86%). “Os dados mostram uma nova dinâmica no relacionamento entre empregado e empregador, com os executivos sendo chamados a construir confiança de dentro para fora”, diz Martin Montoya, CEO da Edelman Brasil. “Para isso, as empresas devem seguir quatro caminhos: liderar a mudança, empoderar os empregados, atuar localmente para o bem de suas comunidades e ter CEOs comprometidos com os valores das companhias”

Outros destaques do Edelman Trust Barometer 2019 – Brasil:

– O desejo de mudança mobilizou os brasileiros na busca por informações, resultando em um aumento no consumo de mídia (25%) e no compartilhamento de notícias (58%) de 22 pontos.

  • A confiança na mídia tradicional (63%) cresceu 1 ponto, enquanto nos mecanismos de busca (72%) caiu 4 e nas redes socias (47%) caiu 5.
  • A confiança aumentou em todos os 15 setores pesquisados. Os mais confiáveis são Tecnologia (87%), que subiu 1 ponto e segue líder. O menos confiável é Saúde (59%), apesar da alta de 8 pontos.
  • Globalmente, as marcas países menos confiáveis ​​são México (35%), Índia (39%), Brasil (39%) e China (40%). Para os brasileiros, empresas com sede no Japão (80%), Suíça (78%) e Canadá (78%) são as mais confiáveis.
  • A credibilidade da pessoa comum cresceu 4 pontos, atingindo 74%, e segue na liderança. Logo em seguida, vem o especialista técnico da companhia (67%), com 3 pontos a mais do que no ano passado.
  • Em termos globais há um importante gap de 14 pontos entre a confiança do público informado (64%) e a da população geral (50%). A maior diferença está no Reino Unidos (24 pontos). No Brasil, o gap é de 8 pontos (público informado 51% – população geral – 43%).

ACESSE O ESTUDO COMPLETO AQUI.

 


Mais informações à imprensa:

Claudia Jordão
claudia.jordao@edelman.com
11 3066.7782
Isabela Galeote
11 3060.3102
isabela.galeote@edelman.com

Sobre o Edelman Trust Barometer
O Edelman Trust Barometer 2019 é a 19ª edição da pesquisa anual de confiança e credibilidade. O estudo foi realizado pela agência de pesquisa Edelman Intelligence e é o resultado de entrevistas online feitas entre 19 de outubro e 16 de novembro de 2018. O levantamento online do Trust Barometer 2019 foi realizado com +33 mil pessoas em 27 países. Todo o público informado atendeu aos seguintes critérios: faixa etária 25-64 anos; nível superior; renda familiar no quartil mais alto em sua faixa etária de cada país; lê ou assiste a mídias de notícias/negócios pelo menos algumas vezes por semana e acompanha questões de políticas públicas no noticiário várias vezes por semana.

Sobre a Edelman Brasil

A Edelman é uma agência global de comunicação, parceira de empresas e organizações para construir, promover e proteger suas marcas e reputações. Nossos 6 mil profissionais, em mais de 60 escritórios, entregam estratégias de comunicação que dão a nossos clientes a licença para liderar, agir com convicção e conquistar a confiança duradoura de seus stakeholders. No Brasil, somos cerca de 200 profissionais nos escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro. Nossos reconhecimentos incluem o Grand Prix – Leão de RP em Cannes; o ranking A-List 2019 da revista Advertising Age; Agência Global Digital do Ano 2018 no ranking do portal Holmes Report; e ranking Melhores Lugares para Trabalhar do site Glassdoor por cinco anos. No Brasil, foi eleita Agência do Ano no Prêmio Jatobá 2017 e ficou entre as 3 agências mais admiradas do país no TOP Mega Brasil de Comunicação Corporativa em 2015 e 2016. Seus trabalhos foram reconhecidos nos prêmios Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions, Latin American Excellence Awards, Sabre Awards Latin America, Prêmio Aberje e Prêmio Jatobá. Desde nossa fundação em 1952, somos uma empresa independente, de gestão familiar. A Edelman possui as empresas especializadas Edelman Intelligence (pesquisa) e United Entertainment Group (entretenimento, esporte e comportamento).